Especial Dia Internacional da Mulher: Lugar de mulher é… Na PGE/RO é onde ela quiser!

Compartilhe
fotos: Paulo Besse, assessoria de imprensa PGE-RO. Arte: Denílson Cidade

 

Como já dizia Erasmo Carlos “Dizem que a mulher é o sexo frágil, mas que mentira absurda! Eu que faço parte da rotina de uma delas, sei que a força está com elas”. No Dia Internacional da Mulher, a Procuradoria Geral do Estado de Rondônia preparou uma matéria especial, e ouviu “gente como a gente”, que trabalha, que luta e que enfrenta desafios.

“Sexo frágil não foge à luta; por isso não provoque; é cor de rosa choque. Um sexto sentido maior que a razão; gata borralheira, você é princesa”. Os trechos da música Cor de Rosa Choque, de Rita Lee, traduzem bem a dona do dia de hoje. Dia oito de março é todo delas, das mulheres. Bobagem é chama-las de “sexo frágil”; seres humanos capazes de conciliar três ações ao mesmo tempo e com maestria. Nem a dor, cansaço e preocupações do dia a dia as fazem deixar o salto e o batom de lado.

A reportagem especial celebra o Dia Internacional da Mulher. Da mulher moderna, cheia de garra, disposição. Mulher de fibra, líder, questionadora, engajada e que gerencia casa, família, negócios e ela mesma – afinal de contas, a feminilidade nunca perde espaço na vida de uma mulher!

A PGE/RO entrevistou três mulheres batalhadoras e que aqui vão representar todas as mulheres da Procuradoria Geral do Estado.

 

 

Lívia Renata de Oliveira Silva

Lívia Renata de Oliveira Silva, Diretora da Procuradoria Trabalhista da PGE/RO

“O segredo de tanta garra e determinação é fazer tudo com muito amor e agradecer sempre”. A frase é de Lívia Renata de Oliveira Silva, procuradora há 16 anos, mãe de dois filhos – e motivo de orgulho para ambos que a enxergam como uma mulher extremamente forte. Tão forte que ela provou para os próprios desafios da vida a força que tem.

Líder em casa, na criação de seus filhos; no trabalho onde é diretora da procuradoria trabalhista dedica quase todas as horas do seu dia e líder da própria vida. Uma mulher independente e que nunca esperou as coisas acontecerem; ao contrário, sempre correu atrás de seus sonhos e batalhou para que sua vida sempre prosperasse, assim como a formação de seus filhos!  “E quando a ‘peteca’ ameaça cair, olho para a imagem dos meus filhos e penso em Jesus! Isso acalma meu coração e me dá forças para continuar”, revela.

É na Família e no trabalho, que Lívia diz buscar respostas e coragem para seguir em frente. “O desafio é constante, a cada dia, a vida nos prega uma peça que nos transforma, nos faz curvar. Há momentos que achamos dar conta do recado, mas a fé em Deus, a aceitação que tudo está no lugar certo e na hora certa e o apoio dos meus filhos tornam meu caminhar mais leve”, arremata.

 

 Joana Gama de Araújo

Joana Gama de Araújo, estagiaria do Centro de Estudos Jurídicos da PGE/RO

Representatividade no competitivo mercado de estágio. Joana é atualmente assistente técnica  do Centro de Estudos Jurídicos da Procuradoria Geral do Estado em Porto Velho. Com pique para dar e vender, Joana é uma verdadeira injeção de ânimo para aquele que a conhece. Aos 25 anos ela parece não parar nunca; tem sede de conhecimento e nunca se queixa da correria que a vida é.

Na faculdade desde 2013 quando começou o curso de direito, Joana está longe de estar entre as mais acomodadas.

Desafiadora parece ser a palavra que define a vida que a estagiaria leva. Com uma rotina tripla, ela concilia casa, faculdade e trabalho e ainda tem tempo para estudar. “É desafiador e preciso olhar o quanto sou feliz a cada dia. Uso a frase ‘ser feliz dá trabalho’ e vivencio isso”. Mas, segundo ela, mais desafiador que conciliar tantas responsabilidades é a colocação no mercado de trabalho que ela deseja. Joana quer ocupar o cargo de delegada federal, um dos cargos mais disputados principalmente pelos homens. “Embora não seja manifesto publicamente, ainda existe resistência e pouca aceitação, mas posso dizer que hoje está bem melhor para as mulheres atuarem no mercado de trabalho. Temos que trabalhar mais e comprovar nossa capacidade o tempo todo e ainda causamos desconforto, mas os homens aceitam melhor o fato de disputar o mercado com as mulheres”, considera.

E finaliza afirmando que “precisamos entender que não temos que ser melhores que os homens, precisamos ser o melhor de nós mesmas, dar o melhor de nós e principalmente não abrir mão da nossa natureza de ser sim, rainhas do lar, cuidar da administração do nosso maior tesouro e legado: nossas profissões e conquistas”.

 

 

Geanny Marcia

Geanny Marcia, Gerente Administrativa e Finaceiro da PGE/RO.

Geanny Marcia é um exemplo de que – felizmente – o mercado vem dando cada vez mais oportunidades às mulheres em cargos de chefia.

Ela é responsável por um dos serviços mais importantes na Procuradoria Geral de Rondônia, em Porto Velho, onde é gerente administrativa e financeiro. É formada em pedagogia e direito, mas abriu mão da formação para ocupar um dos cargos mais importantes da instituição. “Particularmente enxergo uma logística complexa e estratégica, porque assegurar o planejamento de compras, suprimento de insumos, balanceamento, gestão de estoque, visando melhor custo-benefício, minimizando com qualidade e eficiência, não é uma tarefa simples”, considera.

Sobre a crescente ocupação de mulheres em cargos de liderança, Geanny é otimista e sensível ao avaliar que “cada mulher merece ser reconhecida por suas competências, e que por ser menos racional e mais emocional ainda possua dificuldades em ser estritamente profissional, porém por outro lado esse diferencial vem agregar positivamente nas relações interpessoais e gerenciamento de conflitos entre equipes, fazendo com que se explore o melhor de cada indivíduo. E para um mercado ser mais igualitário, vejo que trata-se de uma questão histórica, com raízes na cultura e sociedade, onde o ‘preconceito ainda existe, mas muito em breve ficará no passado”.

 

|FONTE

TEXTO: PAULO BESSE

FOTOS: PAULO BESSE

PGE-RO: PROCURADORIA GERAL DO ESTADO DE RONDÔNIA

Compartilhe