Planejamento Estratégico avança mais uma etapa em Rondônia

Na última semana, nos dias 4, 6 e 8, no Centro Universitário São Lucas, integrantes da Procuradoria Geral do Estado de Rondônia (PGE-RO) participaram de oficinas para a discutir os objetivos e estabelecer as metas que irão compor o Planejamento Estratégico da Instituição. A proposta é fazer um planejamento participativo para possibilitar uma visão holística das reais necessidades de melhorias para a PGE-RO.

A metodologia escolhida para esta etapa foi a formação de dois grupos mesclando analistas e técnicos de diferentes áreas, assim como procuradores de setoriais distintas, para proporcionar um debate profícuo e uma análise mais crítica sobre o eixo designado para cada equipe.

Ao chegar, os participantes receberam uma pasta com a compilação da análise de Swot – etapa realizada no início do ano com todos os setores da PGE – e um documento que continha a sugestão dos macro-objetivos e das ações que poderiam ser desenvolvidas para alcançá-los. A dinâmica consistia em avaliar o documento com o eixo que ficou indicado para o grupo, sugerir melhorias e definir metas para cada ação. Após este primeiro momento, as equipes trocavam de material para que uma nova análise do eixo fosse feita a partir das considerações do outro grupo.

Equipe inicia debate sobre os macro-objetivos.

1º DIA 
A manhã começou com a fala do presidente da comissão de Planejamento Estratégico, Lerí Antônio Souza e Silva, agradecendo a disponibilidade de todos e reforçando a importância que o planejamento tem para a Instituição. “Quero agradecer a participação de todos os presentes e ressaltar a relevância de planejar a atuação da Procuradoria nos próximos anos para podermos entregar resultados cada vez melhores”, disse.

No primeiro dia, os eixos analisados foram “Estado e Sociedade”, que procura trabalhar a melhor gestão de recursos do Estado para garantir políticas públicas para a população; e “Processos Internos”, que busca a excelência na gestão, comunicação interna e rotinas.

Depois da explicação de como funcionaria a dinâmica das oficinas, cada grupo ficou com um eixo e fez seus apontamentos e sugestões formulando um novo documento. Posteriormente, as equipes trocaram esses documentos para ponderar e opinar sobre o outro eixo de acordo com as modificações realizadas.

2º DIA

Antes de iniciar a divisão dos grupos, foi realizada a consolidação dos macro-objetivos, ações e metas dos eixos trabalhados no primeiro dia. Por meio de um diálogo entre os participantes, as informações foram registradas e uma nova versão do documento foi produzida.

Dando continuidade à oficina, os eixos “Pessoas”, focado na preocupação em capacitar e valorizar o capital humano; e “Tecnologia”, responsável pela infraestrutura física e tecnológica adequada da organização, incluindo sistemas e processos, foram colocados em pauta para discussão.

Seguindo o mesmo processo, os participantes foram divididos em 02 (dois) grupos e cada um ficou responsável por discutir um eixo para que, no próximo encontro, ocorresse a troca e o debate sobre as considerações feitas por cada equipe. “O Planejamento Estratégico proporciona a elaboração de um plano para colocar em prática projetos que muitos membros de carreira tentam efetivar. Também temos a oportunidade de sinalizar o que pode melhorar na estrutura da PGE porque acreditamos que ela tem potencial para crescer ainda mais. Como sou da área de TI, pude colaborar mostrando como é a realidade do nosso setor para orientar quais ações eram pertinentes ou não. Já nos outros eixos, consegui contribuir representando meus colegas da carreira de apoio sugerindo melhorias para a Instituição como um todo”, afirmou o técnico em informática, Romário Oliveira.


Equipes discutem sobre os eixos Pessoas e Tecnologia no 2º dia de oficina.

3º DIA

O último dia das oficinas iniciou com a troca das considerações que cada grupo havia realizado no encontro anterior. Após as equipes debaterem e avaliarem os apontamentos, foi a hora de consolidar os macro-objetivos, ações e metas dos eixos Pessoas e Tecnologias. “O Planejamento Estratégico é um ponto de partida tendo em vista que a PGE já tinha metas sem sequer planejá-las antes. Achei a dinâmica adotada para as oficinas excelente porque contou com representantes de procuradores e servidores de diversas setoriais e dos setores de apoio. Fiquei muito feliz em participar e creio que seja um grande passo que a nossa Procuradoria esteja dando”, comentou o procurador do Estado, Pedro Henrique Simões.


Equipe debate sobre o eixo Tecnologia no 3º dia de oficina.

A próxima etapa é formular um documento com o que ficou decidido nas oficinas – acrescentando os indicadores para cada ação – e apresentar à direção da PGE para aprovação e continuidade do planejamento.

Leia Mais:

 Comissão de Planejamento Estratégico da PGE realiza visita técnica ao Tribunal de Justiça

 II Conferência dos Procuradores do Estado de Rondônia abordará nova visão da Administração Pública


Fonte
Texto: Ana Viégas
Fotos: Ana Viégas
Secom – Governo de Rondônia



Este website utiliza cookies para otimizar sua experiência.