Jairo Lopes da Costa: mais de 3 décadas de trabalho e dedicação à PGE.

Nascido e criado em Porto Velho, o filho de Livino Lopes e Francisca Lopes da Costa era uma criança que adorava brincar de futebol com os amigos.

Irmão do Jurandir, José, Jaiede, Janice, Janacley, Jozildo e Josimeire, o Jairo Lopes da Costa é o tipo de pessoa que está sempre disposta a ajudar. Muito prestativo, é uma carteza de auxílio entre seus amigos.

Há 32 anos, ele trabalha cuidando do recebimento, envio, controle, armazenamento e manipulação de materiais que a Procuradoria Geral do Estado de Rondônia (PGE-RO) necessita para desempenhar suas atividades. Chefiando o almoxarifado da Instituição desde 1988, aquele menino que na infância pensava em ser policial, é um dos servidores mais antigos da PGE-RO.

O pai da Juliane (39 anos) e do Paulo Henrique (34 anos), acompanhou de perto todo o crescimento da Procuradoria e é testemunha viva de muitos acontecimentos que marcaram a história da Instituição.

Quando não está trabalhando, nos momentos de lazer, o esposo da Benedita Moraes dos Santos, popularmente conhecida como Pepita, gosta de pescar e se reunir com a família e amigos.

Para saber mais sobre a trajetória do servidor Jairo Lopes da Costa, dentro da PGE-RO, acompanhe a entrevista a seguir:

Qual a sua experiência profissional antes da PGE?

Minha experiência antes de vir para PGE, foi no almoxarifado da antiga Secretaria de Estado de Administração (SEAD) (que hoje corresponde à Superintendência Estadual de Gestão de Pessoas – SEGEP). Fiquei lá durante 5 anos.

Quando ingressou na PGE e como foi?

Ingressei na PGE na vaga de uma pessoa que foi transferida para um órgão federal. Foi no dia 08 de setembro de 1988.

Como era a PGE quando o senhor entrou?

Na época, a PGE era um órgão pequeno, porém muito acolhedor.

Quem ingressou junto com o senhor na PGE que está até hoje?

Geanny, Vidal, Quézia, Edson, Lailson, Petrôna e possivelmente devem ter mais colegas que não consigo me recordar agora.

E o que o senhor percebe que mais mudou na PGE nesses anos?

Durante esses 32 anos, mudou a estrutura e a tecnologia que avançou bastante. Além disso, a mudança de colegas que passaram no setor, mas depois disso foram transferidos. E dentro da própria PGE como um todo, pois foram feitos outros concursos durante todos esses anos, então a equipe aumentou muito.

Por quais setores já passou?

Durante todos esses 32 anos de serviço prestado na PGE, continuo no mesmo setor, que é o Almoxarifado, e na mesma função – chefe do Almoxarifado.

Qual, o senhor acredita ser, a sua maior contribuição para a PGE até agora?

Minha maior contribuição até hoje continua sendo o bom serviço prestado todos esses anos, com muito orgulho, e até quando Deus permitir.

Qual foi o grande marco para a evolução da PGE?

O grande marco para mim foi a informatização de todo o sistema de trabalho que facilitou a execução do serviço.

O que o fez gostar de trabalhar na PGE durante todos esses anos?

Até hoje tenho o prazer de trabalhar todos os dias como se fosse o primeiro. A convivência com os colegas que fiz na Instituição e o meu serviço me dão muita alegria.

Qual o seu sentimento em relação à PGE?

Sempre foi e será de gratidão, pois tudo que tenho hoje devo a esse tempo de serviço.

Se você fosse agradecer alguém da PGE, quem seria e por quê?

Duas pessoas que estão guardadas e marcadas em todo esse tempo de serviço são: doutor Juraci e Geanny Márcia pela confiança que sempre me foi depositada.

O que o Jairo de hoje, diria para o Jairo que ingressou em 1988?

Um conselho que me daria na época que entrei seria para fazer tudo com a mesma atenção e dedicação que sempre fiz.

Qual a mensagem que o senhor deixaria para quem deseja prestar concurso para a PGE-RO?

Estude bem, pois o órgão é ótimo e um ambiente de trabalho muito familiar e acolhedor.

Quais os planos para o futuro?

Como todo servidor, meu plano futuro será uma tranquila aposentadoria por tempo de serviço e com a sensação do dever cumprido.

O Jairo é um dos servidores mais antigos da PGE, tendo mais de 30 anos na Instituição.

Uma curiosidade sobre o Jairo.

Gosto muito de cozinhar, cuidar de plantas e, às vezes, arrisco-me cantando no karaokê.

Uma frase para finalizar.

Tudo posso naquele que me fortalece!

O que os colegas de trabalho falam sobre Jairo Lopes da Costa:

Conheço o Jairo desde novembro de 1989. Ele é muito dedicado ao trabalho e é sempre muito prestativo. Além de ser assíduo nas suas atividades.

No pessoal, o que falar do meu melhor amigo?! É um cara que jamais deixou de ajudar um amigo seu. Devo muito a ele!”

Franklin Vidal Nogueira – Chefe de Patrimônio

“Conheço o Jairo tem mais de 30 anos e ele sempre demonstrou ser uma pessoa e um profissional ímpar. Companheiro, extremamente disponível para ajudar os outros, dedicado com o seu trabalho e muito brincalhão!
O convívio com ele, por todas as qualidades citadas, torna-se fácil e agradável.”

Geanny Márcia Barbosa – Gerente Administrativa e Financeira

Fonte:

Texto: Ana Viégas

Fotos:Arquivo pessoal do Jairo da Costa



Este website utiliza cookies para otimizar sua experiência.